quinta-feira, 16 de outubro de 2014

(des)IGUALDADE | (in)EQUALITY

Desde que me lembro como bloqueira, que tenho participado no Blog Action Day, um dia em que blogueiros de todo o mundo se debruçam sobre um tema específico.
Este ano, a malta do Blog Action Day lançou como tema a (in)Equality, ou seja, a (des)Igualdade.
Ora aqui a je, como mulher positiva que é, andou a pensar (por entre caixotes e mudanças, mas isso é conversa para outro dia...) no que poderia escrever acerca de IGUALDADE.

Pensei escrever dum ponto de vista social e, como tal, ia escrever acerca do Rendimento Básico Incondicional, uma medida simples de tomar, já falada por Buckminster Fuller, e que nos permitirá a todos viver com um mínimo de conforto, procurar cumprir a nossa missão e ser o melhor possível naquilo que faz sentido para nós. Isso, sim, é para mim igualdade, algo que é retratado como filosofia e vivência da espécie humana na série Star Trek e que, a meu ver, não é apenas ficção científica ou utopia, mas algo muito possível de realizar.
Querendo ilustrar essa abordagem ao tema da igualdade, decidi procurar uma imagem e deparei-me com esta:

Imagem retirada daqui
Foi aí que me bateu: a minha noção de igualdade não é a mesma que a dos outros!!!
"O que é, para mim, a igualdade?", pensei eu.
Foi então que me deparei com esta frase de Victor Hugo: "A primeira igualdade é a justiça."

Imagem retirada da net
Sem justiça, sem todos termos acesso igual a tudo de forma justa e respeitadora das nossas diferenças, não há verdadeiramente igualdade. E, se considerarmos a igualdade como dando igual a todos independentemente do que já têm (ou seja, sem justiça), estaremos até a minar a igualdade e, acima de tudo, a liberdade de cada um se expressar e de viver! Ou, nas palavras de Paolo Mantegazza: "A igualdade, engodo dos engodos, que, sob a forma de justiça ideal, tem paralisado tantas vontades de homens, tantos cérebros geniais, é a maior das injustiças e, aparentando salvaguardar a liberdade, é a pior das tiranias."

Imagem retirada da net
Mikhail Bakumin disse-o bem: "É preciso que compreenda que não existe liberdade sem igualdade, e que a realização da maior liberdade, na mais perfeita igualdade de direito e de facto, política, económica e social ao mesmo tempo, é a justiça."


Por isso mesmo, decidi não blogar sobre o Rendimento Básico Incondicional (irei fazê-lo brevemente pos vejo-o como uma medida imensamente útil, necessário e um passo importante no sentido de nos permitirir atingir a sociedade idílica que gostava de ver ainda em vida ou, no mínimo, que os meus filhos possam vir a vivenciá-la), mas sim sobre esta "subtil" diferença entre Igualdade no sentido de Justiça e Liberdade de Acesso de todos a tudo nas mesmas condições (vulgo, em Igualdade de Circunstâncias), e a dita igualdade que apenas perpetua as diferenças.


Imagem retirada daqui
Que tenhamos um mundo cada vez mais justo, especialmente porque todos estamos a bordo da mesma nave espacial! :-)

IGUALDADE PARA TODOS e VIDA LONGA E PRÓSPERA!!! :-)

2 comentários:

  1. Tema e ação muito importante.
    Parabéns, porque continuas a ser uma grande mulher de causas.
    Mas passei, especialmente, para deixar um beijinho..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querido Manuel! :-)
      O agradecimento pela tua visita e pelo teu comentário vem tarde, mas é de coração! :-D
      Beijinhos e bom fim-de-semana,
      Sónia

      Eliminar

Diga lá o que pensa...