terça-feira, 7 de maio de 2013

Ser optimista cansa!!!

Eu sou uma mulher optimista.

"O que quer isso dizer? Quer dizer que és daquelas pessoas tolinhas que acham que tudo o que acontece é bom e que, quando alguma coisa não corre bem, fica à espera que ela mude?"

Não, gente boa... Não é isso que é ser optimista (nem otimista, se alinharmos na coisa reles que é o novo acordo ortográfico...)...

William G. Ward disse "O pessimista queixa-se do vento, o optimista espera que ele mude e o realista ajusta as velas", mas não é nada disso.
Ser optimista é agradecer o vento já nos ter feito andar tanto e, enquanto reajustamos as velas, apreciar a calma e a paz.
Ser optimista é perceber que algo está mal e, ganhando forças no que está bem, agir para mudar a situação para melhor.

Claro que há situações em que isso é difícil e, se considerarmos a mente portuguesa do "indo com os do Armindo" e "andando com os do Armando", percebe-se logo que ser optimista em Portugal é um desafio.
Mais ainda se pensarmos que a geração "principal" de portugueses (que nos governa, que está neste momento no auge das suas carreiras e a educar os seus filhos) cresceu sob a influência de desenhos animados e programas com mentalidade fatalista, género esta música da "Árvore dos Patafúrdios":



"Por incrível que pareça, não há nada que não nos aconteça.
Ó sorte malvada! Que vida desgraçada! Ai, ai, ai, ai... Ai, ai, ai, ai..." 

Mas isto lá é maneira de olhar para o mundo?!? :-S

Por isso é que depois andam todos a queixar-se, a lamentar-se, culpando a crise económica e desculpando-se de contribuirem para a crise de valores que existe, não mexendo uma palha para mudar as coisas...
Pior ainda quando vêem alguém a querer mudar algo (quanto mais não seja a visão que têm da sua própria vida para melhor) e fazem como os caranguejos num balde ao ver outro subir: puxam-nos para baixo... :-S

Claro que isto faz com que ser optimista seja mal visto, ridicularizado e surja muito quem enegreça mais ainda as coisas... O que cansa...

Mas eu sou uma sortuda, porque conheço mais optimistas e, inclusivamente, sou amiga d'algumas delas [;-)] e, apoiando-nos umas nas outras, conseguimos superar esse cansaço!!! [n'é Teresa?!? ;-P]
São elas:
- as meninas no "Optimismo em Construção", que nos dão dicas para construirmos a nossa visão optimista do mundo e, no caso particular da Teresa (a mais activa há muito! Mas ainda não perdi a esperança do regresso das outras duas meninas! ;-P), me acompanha na Caminhada da Vida! :-)
- as meninas do "Reinventar um Portugal mais Risonho", uma equipa bem diversificada e muito interessante, que mostram que Portugal vale muito a pena, ao contrário do que por aí dizem! ;-)
- a Ema Magalhães, que, mesmo tendo a sua vida abalada neste momento, continua a manter viva a esperança de ajudar as pessoas a reduzir a sua pegada ecológica no "365 coisas que posso fazer para diminuir a minha pegada ecológica". [força linda!!!]
- a Manuela Araújo, que, mesmo com uma família grande para educar e gerir, trabalha imenso, é montes de activa em vários projectos de valor (como o grupo Famalicão em Transição) e  persiste na sua tarefa de nos mostrar que a "Sustentabilidade é Acção" e de partilhar novas formas de "Agir pela Sustentabilidade"! :-)

Será coincidência serem todas mulheres? Já não acredito em coincidências há muito tempo, mas isso agora também não interessa!
O importante é que, por muito que o cansaço bata, é sempre possível manter o optimismo(!):
- basta sermos pró-activos, procurando soluções e encontrando ânimos nas coisas antes de termos que reagir ao que nos cai em cima!
- basta recorrermos aos nossos amigos e pedir ajuda na nossa Caminhada!
- basta termos intenção de mudar e, a partir daí, saber que cada (aparentemente) pequeno passo é já um grande salto na direcção certa!

Sejamos activos, não passivos!
Sejamos pró-activos e não re-activos. O barco navega para a frente (proa), não para trás ()!!! ;-)

Imagem retirada daqui
E não precisam de ter medo de não saber o caminho, porque o mar é vasto, mas, como diz o Armandinho: "estamos espalhados... mas já começamos a reunir-nos!"!!! ;-)

Imagem retirada daqui


2 comentários:

  1. Pois, às vezes cansa mesmo, porque é sempre mais fácil, menos custoso em termos de energia psicológica, deixarmo-nos levar no sentimento cinzento dominante do que lutar contra ele. Como referi, há tempos (citando já não sei quem, para variar), a evolução humana favorizou uma série de emoções negativas cuja função é a de aumentar a probabilidade de sobrevivência da especie. A ansiedade torna-nos mais vigilantes aos problemas, o medo favorece a fuga ou o combate, a cólera intimida os adversários ou rivais, a tristeza atrai a compaixão e solidariza o grupo... O espectro de emoções e humores positivos é bem mais restrito, de acesso mais custoso. Sentir-se bem é uma espécie de luxo que a evolução não previu para nós. É por isso que é preciso, muitas vezes, "trabalhar" para ser feliz. Vai daí é bem mais fácil ser pessimista e resignar-se porque "o pior é possível, então acontecerá"... Mas digo-te, Sónia, se ser optimista cansa, às vezes, porque realmente dá uma grande trabalheira, o pessimismo reinante fatiga-me muito mais. E dá uma energia imensa encontrar pessoas como tu que ajudam a diluir qualquer cansaço. Se és uma sortuda eu não sou menos. Que bom existires, marinheira deste barco! Que bom poder reajustar as velas contigo e poder ler-te aqui hoje (adorei o post). Um grande e grato beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata sou eu minha linda, por tudo o que já aprendi contigo e por te ter aqui por perto! ;-)

      Beijinhos e avancemos, porque atrás vem cada vez mais gente! ;-D

      Eliminar

Diga lá o que pensa...